DEZ OBRAS LITERÁRIAS CONSAGRADAS UNIVERSALMENTE



Aqui estão relacionadas dez obras dignas de compor qualquer biblioteca. Existem tantas outras que vagueiam pelas livrarias, dignas representantes da cultura universal. Entretanto, estas dez aqui apresentadas, são inesquecíveis. Cada leitor tem a sua lista de obras favoritas. Aqui, são relacionadas sem ordem de preferência ou importância. Não estão incluídas obras em formato de poesia, conto, crônica, - biografia e assemelhados.


 1 - PANTALEÃO E AS VISITADORAS 

Mário Vargas Llosa – Arequipa 1936 –Nobel de Literatura
 Pantaleão Pantoja, um capitão recém-promovido do exército, recebe uma missão inesperada - criar um serviço de prostitutas para as Forças Armadas do Peru, isoladas na selva amazônica, dentro do mais absoluto sigilo militar.

2 - O TIGRE BRANCO

Avaring adiga - 23 october 1974- Chennal, Índia
Premiado com o Booker Prize de 2008, O Tigre Branco é um romance de estreia, que revela uma Índia ainda muito pouco explorada pela ficção. Apresenta um retrato cru e muito pouco glamoroso da desumana realidade de vida das classes mais pobres pela voz espirituosa e mordaz em narração epistolar.
3- ÉDIPO REI  

Sófocles em grego: Σοφοκλῆς, 497 ou 496 a.C.- 406 ou 405 a.C. 
Édipo Rei (OΙΔΙΠΟΥΣ ΤΥΡΑΝΝΟΣ em grego – O LAIO TIRANO) é uma peça de teatro grega, em particular uma tragédia, por volta de 427 a.C.  Na lenda grega, Édipo, filho de Laio e Jocasta, era o rei de Tebas, a cidade que fora assolada por uma peste e ao consultar o oráculo de Delfos, descobriu algo trágico sobre sua vida. Ele foi amaldiçoado pelos deuses sendo destinado a casar com sua mãe, com quem teve dois filhos e duas filhas, e a matar seu pai por engano, o rei que governava a cidade antes de Édipo. Após saber a verdade, sua mãe-mulher se enforcou e Édipo, envergonhado de seus atos, perfurou os próprios olhos.


4 - CRIME E CASTIGO 

Dostoievski – Moscou/ Rússia 1921 – São Petersburgo 1881 
É um romance publicado em 1886. Narra a história de um jovem estudante que comete um assassinato e se vê perseguido por sua incapacidade de continuar sua vida após o delito. Baseia numa visão sobre religião e existencialismo com um foco predominante no tema de atingir salvação por sofrimento, sem deixar de comentar algumas questões do socialismo e niilismo.


  5 - GERMINAL 

Émile Zola - Paris, 2 de abril de 1840 – 29 setembro de 1902 – assassinado por um desconhecido
A história tem lugar no norte da França durante uma greve provocada pela redução dos salários. Além dos aspectos técnicos das extrações minerais e as condições de vida nos agrupamentos dos mineiros, Zola também descreve o princípio da organização política e sindical da classe operária, tais como as divisões já existentes entre marxistas e anarquistas. Para compor Germinal, o autor passou dois meses trabalhando como mineiro na extração de carvão. Viveu com os mineiros, comeu e bebeu nas mesmas tavernas para se familiarizar com o meio. Sentiu na pele o trabalho sacrificado, a dificuldade em empurrar um vagonete cheio de carvão, o problema do calor e a umidade dentro da mina, o trabalho insano que era necessário para escavar o carvão, a promiscuidade das moradias, o baixo salário e a fome. Além do mais, acompanhou de perto a greve dos mineiros.  

6 - MADAME BOVARY

Gustave Flaubert - Ruão, 1821 - Croisset, 1880 
O romance resultou num escândalo ao ser publicado em 1857. O livro "Romance Dos Romances ", Madame Bovary é considerado pioneiro entre os romances realistas. Trata da desesperança e do desespero de uma mulher que, sonhadora, se vê presa em um casamento insípido, com um marido de personalidade fraca, em uma cidade do interior. Publicado originalmente em capítulos de jornal, em 1856, o romance mostra o crescente declínio da vida - interna e externa - de Emma Bovary. Não somente, o livro tornou-se famoso por sua originalidade, o qual posteriormente levou a cunhagem do termo de psicologia bovarismo, em referência as características psicológicas da protagonista da obra. Quando o livro foi lançado, houve na França um grande interesse pelo romance, pois levou seu autor a julgamento. 

7 – AS VINHAS DA IRA

John Steimbeck – Salinas, 1902 — Nova York 1968
Publicado em 1939, ´´As vinhas da ira marcou o auge da carreira do autor e mantém-se como um documento social e marco da literatura. O livro representa o confronto entre indivíduo e sociedade, através da epopeia da família Joad, expulsa pela secados campos de algodão de Oklahoma, para tentar a sobrevivência como boias-frias nas plantações de pêssegos 


8 -A CIDADE DO SOL

               Khaled Hosseini - O médico e escritor nasceu em Cabul, no dia 4 de março de 1965
Cidade do Sol é o livro que deu a Khaled Hosseini o sucesso que agora ele tem. História, cultura e romance. Mariam, personagem principal de Hosseini talvez seja o próprio Afeganistão. Filha bastarda de um homem rico, ela cresceu a vida toda sem sair de casa junto com sua mãe. Não aprendeu a ler, porque a mãe achava desnecessário "vão apontar para você enquanto te chamam de harami (filha bastarda)". Tudo que Mariam mais amava era Jalil, seu pai, mesmo que ele não tivesse assumido sua paternidade. Um dia, Mariam fugiu e descobriu a faceta covarde do pai - que a deixou dormir na rua. Seu pai, por pressão das outras esposas, não queria ficar com Mariam em sua casa e, quando a menina tinha apenas 15 anos, deu sua mão em casamento para Rashid, um sapateiro que morava em outra cidade. E a jovem que já sabia muito bem o que era dor, descobriu que ela estava só começando. 

 9 - O FIO DA NAVALHA 

W. Sommerset Maugham - 25 de janeiro de 1874, em Paris - dezembro 1965
Sua infância foi difícil: gago, ficou órfão aos 10 anos, sendo criado por um tio em Canterbury(Inglaterra) Depois de participar da Primeira Guerra Mundial, (1914 – 1918) o jovem Larry Darrell retorna para sua confortável vida em Chicago. Porém, abalado pela dura e sangrenta experiência da guerra, ele deseja algo além de um bom emprego, de uma bela noiva, de alguns amigos influentes e do vácuo espiritual do seu meio. Darrel quer buscar outro propósito na vida.

 10 - O PROCESSO

Kafka - Praga, Império Austro-Húngaro, atual República Tcheca, 3 de julho de 1883 — Klosterneuburg, República Austríaca, atual Áustria, 3 de junho de 1924
 O Processo é um romance que conta a história de um bancário que é processado sem saber o motivo, Josef K. Não é da nossa incumbência dar-lhe explicações. Volte para o seu quarto e aguarde. O processo já está correndo, o senhor será informado de tudo na hora certa. Nesse romance, a ambiguidade onírica do peculiar universo kafkiano e as situações de absurdo existencial chegam a limites insuspeitados. A ação desenvolve-se num clima de sonhos e pesadelos misturados a fatos corriqueiros, compondo uma trama em que a irrealidade beira a loucura. Ao analisar O Processo, faz-se necessário notar que o final do romance, a cena da execução, foi a primeira parte escrita por Kafka. Josef K. nunca é informado por que motivos está sofrendo o processo, e ele sustenta sua inocência quase até o fim. Ao declarar sua inocência, K. é perguntado "inocente de quê?".

Comentários

Postagens mais visitadas