terça-feira, 15 de janeiro de 2013

CALENDÁRIOS


PARA QUE SERVE UM CALENDÁRIO? Não vejo nada mais lógico que isso: um calendário serve para  saber quanto tempo já passou desde que tal coisa aconteceu, ou quanto tempo falta para acontecer.




Estamos no ano 2013 pelo Calendário Gregoriano. O papa Gregório XIII (1502 – 1585) reuniu um grupo de especialistas, durante cinco anos, para corrigir o Calendário Juliano. Com esses estudos foi publicada a bula papal Inter Gravíssimas estabelecendo o chamado Calendário Gregoriano, que está em vigência até hoje. Foram proibidas publicações de outros calendários e a não observância puniria o infrator com a pena de excomunhão – latae sentenciae – e outras tristezas. O primeiro dia desse calendário seria 15 de outubro de 1582. Assim, dez dias seriam omitidos. De 4 de outubro, quinta-feira passaria no dia seguinte para 15 de outubro, sexta-feira de 1582. A aceitação do calendário gregoriano durou mais de três séculos. Primeiramente, houve aceitação de Portugal, Espanha, Itália e Polônia. Alemanha em 1700. Reino Unido, 1752. China, 1912. Turquia, 1927.

O calendário gregoriano é de origem européia e é adotado, hoje, pela maioria dos países do mundo. Foi promulgado pelo papa Gregório XIII, em 24 de Fevereiro do ano de 1582. Demarca o ano civil do mundo inteiro, facilitando o relacionamento entre as nações. Este calendário gregoriano divide o ano em 365,25 dias, 12 meses de tamanhos desiguais e em 52 semanas, com o recurso dos anos bissextos. É o calendário cristão ou gregoriano com inclusão de festas religiosas, definidas a partir da Páscoa, com adesão quase universal.

O calendário Juliano foi implantado pelo líder romano Júlio César, em 46 a.C. e foi modificado pelo imperador Augusto em 8 d.C. e teve vigência até 1582.
Havia entre os calendários uma diferença de treze dias, portanto, 26 de dezembro iria corresponder a 13 de dezembro, no gregoriano de 2012. Assim 25 de dezembro no gregoriano daria a 7 de janeiro do Juliano. O calendário Juliano está 13 dias atrasado. 

Calendário Romano foi estabelecido por Rômulo, na época da criação de Roma, ou 753 a.C. Tinha 10 meses com 304 dias. Foi modificado por Numa Pompílio que o transformou em lunisso///lar, com 12 meses e 355 dias, com “mensis intersolaris” de dois em dois anos. O ponto de partida da era cristã foi a escolha do ano zero para o nascimento de Jesus. Foi criado no século VI, por um monge armênio, Denis, o Pequeno (Dionisius Exiguus) (470 – 544). Denis reteve como primeiro ano da era cristã (ano 1) o dia 25 de março do ano 754 da era romana, dia da concepção da Virgem Maria. Cometeu um erro de cálculo, pois o rei Herodes, da época de Jesus, já estava morto em 754.  Historiadores e teólogos cristãos consideram a data provável do nascimento de Jesus entre o ano 8 e 4, sendo mais plausível, entre 7 e 6 a.C. – antes do zero convencional. Em 1565 d.C., Carlos IX fixa o começo do ano para 1º.de janeiro. Assim, somente 16 anos depois é que surge o calendário gregoriano. 

Calendário judaico ou hebraico é usado pelo judaísmo, judeus ortodoxos, cotidianamente para as festividades, datas de aniversários, casamentos, falecimentos e outras, enquanto a maior parte dos judeus o utilizam para esses fins. É composto alternadamente de 12 e 13 meses do tipo lunissolar. Começa em setembro/outubro no tishrei, baseado na origem de Adão, pela Bíblia, na crença judaica, há 5.773 anos. Para o cálculo acrescenta-se o ano atual a 3.760, a partir de set/out. do ano novo.


Além dos citados, existem vários outros tipos de calendários: maçônico, asteca, babilônico, chinês, egípcio, hindu, indígena, lunar, maia, muçulmano  solar, permanente. 

PARA SABER MAIS CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO