sexta-feira, 25 de março de 2016

ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO




INFORMAÇÕES GERAIS.
O ENEM é o segundo maior exame seletivo do mundo


O Ministro da Educação, Paulo Renato de Souza, (1.945 – 2.011) instituiu o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio, pela necessidade de normatizar os procedimentos de credenciamento de instituições para oferta de cursos de graduação e educação profissional. A Portaria 301 de 7 de abril de 1998 foi então publicada no Diário Oficial da União – DOU - no dia 9 de abril de 1998, com a Lei número 9.394, de 20 de dezembro de 1.996, pelo decreto 2.494, de 10 de fevereiro de 1.998, assinada pelo Presidente da República, professor Fernando Henrique Cardoso.
Portanto, ENEM é a sigla de EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO, que foi criado pelo Ministério da Educação e Cultura – MEC – para testar o nível do aprendizado dos alunos que concluíram o ensino médio no Brasil. 
Atualmente, os resultados obtidos no ENEM ajudam os estudantes a ingressar em universidades públicas ou ganhar bolsas de estudo em instituições particulares.  É o maior processo seletivo em nível nacional, abrangendo mais de 7 (sete) milhões de candidatos para participar das provas. No ano de 2015, inscreveram-se 7.746.057 candidatos, cuja maior participação por unidade da federação foi a seguinte:

SP                    901.354
MG                  607.838
BA                    424.325
RJ                     335.709
RS                    329.542

As provas foram aplicadas em 1.661 cidades do país.  O exame não é obrigatório, mas é essencial para aqueles que desejam ingressar em universidades públicas, ou participar de intercâmbio.
Este exame é apresentado em 4 (quatro) provas objetivas com 45 questões de múltipla escolha e uma redação. São apresentadas as áreas de conhecimento de:
  • CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS (História, Geografia, Sociologia e Filosofia;
  • CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS (Química, Física e Biologia);
  • MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS (Matemática);
  • LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS (Língua portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Educação Física, Artes e Tecnologias da Informação e Comunicação) e, finalmente,
  • REDAÇÃO (dissertativa / argumentativa).  
Na REDAÇÃO, o candidato deve seguir as quatro competências exigidas:
  •  Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita;
  • Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumento;
  • Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos;
  • Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Aqui estão os TEMAS DE REDAÇÃO que foram propostos, desde a criação do ENEM.

1.998 -  Viver e aprender.
1.999 -  A cidadania e participação social.
2.000 – Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional.
2.001 – Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar interesses em conflito.
2.002 – Direito de votar: como fazer desta conquista um meio para fazer as transformações sociais que o Brasil necessita.
2.003 – A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras do jogo.
2.004 – Como garantir a liberdade da informação e evitar abusos nos meios de comunicação?
2.005 – O trabalho infantil na sociedade brasileira.
2.006 – O poder da transformação da leitura.
2.007 – O desafio de conviver com a diferença.
2.008 – Como preservar a floresta amazônica: suspender imediatamente os recursos, dar incentivos financeiros aos proprietários que deixarem de desmatar ou aumentar a fiscalização e  aplicar multas a quem desmatar. “A máquina da chuva na Amazônia.”
2.009 – O indivíduo frente à ética nacional. Qual o efeito em nós: eles são todos corruptos. A valorização do idoso.
2.010 – O trabalho na construção da dignidade humana.
2.011 – Viver em rede no século 21: os limites da vida pública e privada.
2.012 – Movimento migratório para o Brasil, no século 21.
2.013 – Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil.
2.014 – Publicidade infantil em questão no Brasil.
2.015 – A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.  

Grande número de participantes não consegue nota mínima na redação. Não se pode dizer que sejam temas de fácil dissertação e argumentação. Exige-se muito do candidato. Esses temas mais parecem teses de mestrado e, se o candidato não tiver amplo conhecimento de movimentos culturais e sociais do Brasil e do mundo moderno da tecnologia, fica mesmo com grandes dificuldades. Por isso mesmo, uma nota máxima na redação é sempre difícil.  
O ENEM é, pois, o segundo maior exame seletivo do mundo, sendo o primeiro, o exame de admissão ao ensino superior chinês. Inicialmente, o ENEM foi criado para avaliar a qualidade da educação nacional. Teve a sua segunda versão em 2009, com o aumento do número de questões e utilização da prova para substituição do exame  vestibular das universidades do país. Tem a duração de dois dias, com 180 questões objetivas, além da redação.
Através das notas obtidas os alunos podem candidatar-se a vários programas. As 7 maneiras de utilizar as notas do Enem
  1. SISU ( Sistema de Seleção Unificada ) é um programa que permite que os alunos que fizeram o ENEM possam disputar vagas nas Universidades Federais. Vale lembrar que, para concorrer a estas vagas, a condição básica é não tirar zero na redação.
  2. PROUNI ( Programa Universidade para Todos) para facilitar o acesso de alunos carentes ao ensino superior. Oferece bolsas de estudos de 50% ou 100% da mensalidade em faculdades particulares. Para concorrer a estas vagas, o estudante precisa obter, no mínimo, 450 pontos na média das cinco notas do exame. As vagas do são reservadas para estudantes de baixa renda. Neste caso, os alunos que zerarem a redação também serão eliminados.
  3. FIES (Fundo de Financiamento do Estudante do Ensino Superior). Quem deseja solicitar precisa ter obtido nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio, além de não ter tirado zero na redação. Podem concorrer ao financiamento os alunos que terminaram o ensino médio a partir de 2010. É bom ressaltar que os estudantes que recebem bolsas do Prouni só poderão utilizar o Fies para completar o valor da mensalidade do mesmo curso e na mesma universidade.
  4. UNIVERSIDADES PRIVADAS. A nota do Exame Nacional do Ensino Médio pode ser utilizada, ainda, para ingressar nas universidades privadas. Diversas instituições particulares utilizam a nota do Enem em seus processos seletivos. Neste caso, é necessário entrar em contato com cada uma delas para verificar como é feito o processo seletivo.
  5. Programa Ciência sem Fronteiras. Se você tem o sonho de viajar para estudar no exterior com bolsa do governo o Enem é requisito obrigatório. Para se candidatar a estas bolsas é preciso estar matriculado em um curso de graduação ou de pós-graduação, ter bom desempenho acadêmico, dominar uma língua estrangeira e possuir nota igual ou superior a 600 pontos no Enem.
  6. SISUTEC ( Sistema de Seleção Unificada de Educação Profissional e Tecnológica. Este programa só abre inscrições após o encerramento do Sisu e do Prouni. Convoca candidatos que já concluíram o ensino médio para realizarem cursos técnicos gratuitos.Para este sistema, o Ministério da Educação não exige pontuação mínima no Enem.
  7. Certificado de conclusão do ensino médio. Finalmente o Enem serve ainda para as pessoas que desejam obter certificado de conclusão do ensino médio. Para isso, é preciso ter mais de 18 anos e informar esta opção no ato da inscrição. O candidato deverá obter mais de 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento e  mínimo de 500 pontos na redação.

3 comentários:

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO